QUEM SOMOS

História


1858

Com a imigração alemã para o Brasil, iniciada em 1824, grupos começaram a criar associações para suprirem suas necessidades no novo país. Nesse contexto, foi fundada, em 21 de março de 1858, a Deutscher Hilfsverein (Sociedade Beneficente Alemã), que mais tarde passou a ser Associação Beneficente e Educacional de 1858 (ABE 1858), por um grupo de imigrantes alemães.

A Associação tinha como objetivos dar amparo, assistência social, indicar empregos e orientar profissionalmente os imigrantes alemães e seus descendentes.
Desde 1875, os membros da ABE 1858 tinham interesse em organizar uma escola no Brasil.

1884

Em assembleia da ABE 1858 realizada em 29 de abril de 1884, foi debatido o projeto de uma escola. Esse documento estabeleceu os critérios que deveriam pautar a sua criação e uma definição prévia do currículo.

1886

O Colégio Farroupilha foi fundado no ano de 1886, com o nome de Knabenschule des Deutschen Hilfsverein (Escola de Meninos da Associação Beneficente Alemã). O objetivo era receber crianças a partir dos seis anos e prepará-las para, aos 14, terem fluência nas línguas alemã e portuguesa e condições de estabelecerem seus próprios negócios.

Possuía cerca de 70 estudantes, um diretor, dois professores e funcionava em salas alugadas da Comunidade Evangélica, situada na Rua Senhor dos Passos.
A primeira sede própria do Colégio Farroupilha foi um prédio no Centro, onde atualmente é o Plaza São Rafael Hotel.

1895

Em 1892, a Associação comprou um terreno na Rua São Rafael, hoje Avenida Alberto Bins, onde atualmente é o Plaza São Rafael Hotel. Três anos depois, em 1895, foi inaugurada a primeira sede própria da escola, que ficou conhecida como “Velho Casarão”.

1904

A Mädchenschule (Escola de Meninas) funcionava em salas alugadas da Comunidade Evangélica, iniciou com cinco séries e contava com 159 estudantes, sob a direção do pastor Kleikamp. O corpo docente inicial foi composto pelas professoras Sra. E. Reeckmann; Srtas. Thea Alrutz, E. Kaufmann, E. Bothe, Maria Kuntz, D. Abrilina Granja; e pelo professor Friedrich Köhling.

Por reconhecer que as meninas também necessitavam de uma formação escolar, a ABE 1858 fundou a Escola de Meninas.
Em 1911, a ABE 1858 foi pioneira ao fundar o primeiro Jardim de Infância de Porto Alegre.

1911

Em 1929, o Kindergarten (Jardim de Infância) passou a ser administrado pela Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas. Somente em 1972, o Jardim de Infância foi novamente instituído no Colégio Farroupilha, já na Chácara das Três Figueiras.

1928

A partir dos anos 1930, o local foi utilizado como Sede Campestre da escola. As famílias passavam os fins de semana fazendo piqueniques e atividades de lazer ao redor de figueiras centenárias.

No ano de 1928, a ABE 1858 comprou uma chácara na região do Caminho do Meio, atual Avenida Protásio Alves, e a batizou de Três Figueiras, que hoje também dá nome ao bairro.
O Colégio Farroupilha foi o primeiro em Porto Alegre a criar turmas mistas, unindo meninos e meninas nas salas de aula.

1929

Em um movimento pioneiro, a ABE 1858 uniu rapazes e moças no Velho Casarão, formando turmas mistas a partir da união das escolas de Meninos e de Meninas. A escola passou a ser identificada pelo nome de Deutschen Hilfsvereinsschule (Escola da Sociedade Alemã).

 

1934

Para fortalecer a identidade escolar, foi adotado o uso de uniformes. Os meninos deveriam vestir gorros ou bonés, na cor azul escuro, com aba de celuloide, contendo fitas estreitas nas cores das séries. Já as meninas, em uma iniciativa inovadora, puderam escolher o uniforme. Após votação, ficou decidido: blusa branca, saia e casaco azul-marinho.

Na década de 1930, os estudantes passaram a utilizar uniformes.
No período da nacionalização, a Deutscher Hilfsverein passou a ser ABE 1858 e o termo "Farroupilha" passou a integrar o nome da escola.

1936 e 1942

Com a evolução da escola e as necessidades da comunidade, a ABE 1858 fundou, em 1936, o Ginásio Teuto-Brasileiro Farroupilha. Com a campanha de nacionalização, em 1942, a denominação foi simplificada para Ginásio Farroupilha.

1949

Em 1949, a ABE 1858 encaminhou ao Ministério da Educação e Saúde a solicitação para concessão do funcionamento do curso colegial, o que daria ao Farroupilha o status de colégio. O sonho realizou-se: o Ginásio tornou-se Colégio Farroupilha, com três ciclos.

Foi em 1949, após o reconhecimento do curso colegial, que a escola passou a se chamar Colégio Farroupilha.
Para complementar a formação dos estudantes, foi criada a Escola Técnica de Comércio (ETC) Farroupilha, que oferecia curso de Contabilidade.

1950

Em 1949, a diretoria da ABE 1858 aprovou a abertura de um curso comercial de Contabilidade, ministrado pela Escola Técnica de Comércio (ETC) Farroupilha. O certificado do curso era reconhecido em todo o território nacional.

1962

Com a mudança, a ABE 1858 construiu uma escola totalmente planejada, com três pavilhões destinados ao Curso Primário, Ginasial e Colegial e aos serviços de administração escolar. Também contava com dois salões de ginástica, separados para meninas e meninos, um auditório proporcional e amplos pátios, tanto ao ar livre como cobertos.

Em 1962, o Colégio foi transferido para um novo prédio, construído em um terreno adquirido, em 1928, na Chácara Três Figueiras.
Após 10 anos na nova sede, a ABE 1858 construiu um novo espaço para o Jardim de Infância.

1972

Com a volta do Jardim de Infância, implementado pela ABE 1858 em 1911 e, desde 1929, sob a administração da Ordem Auxiliadora das Senhoras Evangélicas, mais um ciclo de ensino foi incluído no Colégio Farroupilha, e a escola passou a atender crianças com idade pré-escolar.

1974

Com um quadro de estudantes e educadores cada vez maior, a ABE 1858 construiu, em 1974, um prédio, na unidade Três Figueiras, para acolher as equipes administrativas da escola. Nesse mesmo ano, foi efetuada a compra de um terreno na cidade de Viamão, onde posteriormente foi construída a Sede Campestre da instituição.

A Sede Campestre é utilizada para fins pedagógicos e de lazer por toda a comunidade escolar, recebendo eventos como o Dia do Plantio, o Dia da Colheita e o Encontro de Integração da Educação Infantil.
Atualmente, os estudantes do Colégio Farroupilha têm a possibilidade de viajar para locais como Canadá, Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha.

1992

Entendendo que vivenciar diferentes culturas qualifica o desenvolvimento do estudante, a instituição passou a proporcionar intercâmbios estudantis durante as férias de julho. Desde o início, os intercambistas são acompanhados por educadores e instituições parceiras.

1993

Na década de 1990, com a maior representatividade feminina no ambiente corporativo, as famílias precisavam de locais adequados para deixar seus filhos enquanto trabalhavam. Nesse contexto, em 1993, a ABE 1858 construiu um prédio direcionado ao Berçário e ao Maternal.

Com a chegada do Berçário e do Maternal, o Farroupilha passou a atender crianças a partir dos 4 meses de idade.
A relação do Colégio Farroupilha com os esportes é antiga. Em 1906, um grupo de estudantes fundou o Grêmio Náutico União, e, antes de ter uma sede própria, o Colégio utilizava as dependências da Sogipa para as aulas de ginástica.

1994

Em 1994, para valorizar ainda mais a prática esportiva, foi construído o Centro Cultural e Esportivo Farroupilha. O local abriga quadras, vestiários, arquibancadas, salas de educadores e de materiais esportivos. A escola conta, também, com uma pista atlética e um campo.

2001

Com o objetivo de proporcionar a prestação do Serviço Militar aos estudantes da 3ª série do Ensino Médio, próximos à idade de alistamento, o Colégio Farroupilha firmou uma parceria com a 3ª Região Militar do Exército Brasileiro, criando a Escola de Instrução Militar (EsIM). Os estudantes podem prestar o serviço militar durante o primeiro semestre letivo, para, no segundo, se dedicar  aos estudos para o vestibular.

As atividades da EsIM acontecem nas dependências do Colégio e do Centro de Preparação dos Oficiais da Reserva de Porto Alegre (CPOR/PA) e difundem valores, como civismo, cidadania e patriotismo no meio estudantil.
O Memorial recebe cerca de dois mil visitantes por ano letivo. É utilizado em aulas e por pesquisadores universitários que estudam a história da educação no Rio Grande do Sul.

2002

Ao longo de sua centenária história, a ABE 1858 sempre se preocupou em manter suas memórias. Em 2002, a instituição inaugurou o Memorial do Deutscher Hilfsverein ao Colégio Farroupilha,  local que mantém, em seu acervo, objetos que fazem parte da história da escola, de sua mantenedora e da educação no estado. Clique aqui para acessar a página do Memorial. 

2004

Em 2004, uma escola estadual que ficava nas dependências do CPOR/PA foi desativada. No ano seguinte, em 10 de junho, a ABE 1858 assinou um convênio com o Exército Brasileiro para revitalizar a escola, implantando uma nova unidade do Colégio Farroupilha, direcionada totalmente a estudantes bolsistas. A unidade Correia Lima começou a funcionar em 2006.

A unidade Correia Lima proporciona a estudantes provenientes de famílias de baixa renda o acesso à tradição educativa do Colégio Farroupilha.
No ano de 2010, o Colégio Farroupilha tornou-se a primeira escola do mundo a incorporar a Metodologia de Cambridge ao currículo escolar.

2010

Com isso, as aulas de Língua Inglesa passaram a contar com o respaldo da instituição, e os estudantes a receber os certificados emitidos pela universidade e mundialmente reconhecidos. O Farroupilha também foi a primeira escola do Rio Grande do Sul e a terceira do Brasil a ser um Centro Aberto Autorizado de Cambridge, recebendo uma certificação para aplicar os exames a candidatos externos.

2013

Entre os destaques estão a construção dos laboratórios de Física, Química e Biologia, de um novo espaço para o Maternal, o Berçário, e para o Memorial do Colégio Farroupilha.

Em 2013, uma grande reforma modernizou diversos espaços do Colégio Farroupilha, qualificando a aprendizagem ao oferecer ambientes adequados para diversas atividades.
Em 2014, também foi realizada a primeira edição do evento Inteligência Coletiva, com a proposta de pensar novos formatos para a educação do século XXI, oferecendo palestras e oficinas.

2014

Visando transformar a prática de educadores, tanto do Colégio Farroupilha como de outras instituições de ensino, proporcionando novas experiências na educação básica, a ABE 1858 fundou, em 2014, a Escola de Professores Inquietos. A iniciativa promove palestras, cursos, oficinas e eventos para educadores do Farroupilha e de outras instituições de ensino.

2014

Depois de construir as Matrizes Curriculares, em 2012, o Colégio Farroupilha, entendendo que o desenvolvimento do estudante vai além da aprendizagem de conteúdos, elaborou a Matriz Socioemocional, documento complementar à Matriz Curricular. A matriz é baseada em três eixos: identidade (autoconhecimento, autoconceito e autoestima), convivência (habilidades sociais e cooperação) e cidadania (liderança e sustentabilidade) e contempla aspectos específicos para cada fase da vida escolar.

O objetivo da Matriz Socioemocional é promover situações de aprendizagem que envolvam habilidades e competências para o desenvolvimento de um cidadão competente e feliz.
Para proporcionar uma aprendizagem da língua inglesa de maneira lúdica e natural, foi implementado o Projeto Bilíngue na Educação Infantil.

2015

A partir dele, as crianças dos Níveis 4 e 5 passaram a ter vivências diárias com o idioma, proporcionando o desenvolvimento da linguagem com propostas que estimulam a criatividade, a capacidade sensorial e motora e as habilidades naturais de cada criança.

2016

Com o objetivo de apoiar de forma mais sistemática os estudantes que têm interesse em cursar uma universidade nos Estados Unidos, o Colégio Farroupilha passou a aplicar simulados do Scholastic Aptitude Test (SAT), considerado o Enem norte-americano, para discentes do Ensino Médio que buscam admissão nas universidades dos EUA. A escola mantém, ainda, simulados do Enem e do vestibular da UFRGS.

Além da aplicação de simulados, o Colégio Farroupilha promove palestras e momentos de conversa entre estudantes e representantes de universidades nacionais e internacionais.
Em 2017, o Colégio Farroupilha recebeu a placa Pasch-Schule, que simboliza a parceria entre a instituição e o Ministério da Cultura alemão.

2017

A placa Pasch-Schule reflete o sucesso obtido pela instituição que, desde 2015, é membro do grupo “Escolas Parceiras do Futuro”. Esse grupo de escolas, além de ter a Língua Alemã em seu currículo, é autorizado a aplicar exames de proficiência no idioma.

2018

Em 2018, novas obras trouxeram para o Farroupilha uma Minicidade, onde as crianças da Educação Infantil podem praticar conceitos de cidadania de forma lúdica, um Laboratório Maker, para a aprendizagem mão na massa, e o Estúdio Farroups, para atividades envolvendo diferentes linguagens audiovisuais.

Qualificar os espaços de aprendizagem, ampliando as possibilidades de interação com os diversos conhecimentos, é parte da história do Colégio Farroupilha.