‘Aulão’ de Geografia e Química reúne as 7 turmas do 9º ano

22 de maio de 2020

Na sexta-feira, 22 de maio, o “aulão” chamado de “Tempero Químico” reuniu mais de 200 estudantes das sete turmas do 9º ano do Ensino Fundamental – Anos Finais das duas unidades do Farroupilha em uma sala de aula virtual. A aula das disciplinas de Geografia e de Química, com participação de Língua Portuguesa (com dicas literárias), tinha como objetos de estudo a cultura italiana, representada pela culinária, e as misturas químicas.

Na prática, o professor de Geografia, Rodrigo Bennett, cozinhou, ao vivo, dois pratos: espaguete ao molho de tomates e manjericão e uma massa ao molho gorgonzola, enquanto comentava aspectos da cultura italiana. Já o professor de Química, Leonardo De Boita, explicou os processos químicos que aconteciam durante a preparação dos pratos, como mudanças de estado físico da matéria, composição química dos alimentos, métodos de separação de misturas, produção de queijos e biotecnologia aplicada, óleos essenciais e alcaloides.

“A culinária é um ‘prato cheio’ para uma aula de Química, devido aos inúmeros processos. Além disso, é um aspecto fundamental da cultura italiana”, comentou o professor Rodrigo Bennett. Ele contou que foi a aula virtual com maior participação dos estudantes, que trocaram mais de 200 mensagens no chat.

“Achei muito boa essa proposta diferente de aula por ser divertida e envolvente, mas, ao mesmo tempo, educativa. Aprendi bastante e gostaria de mais aulas assim, acho uma boa ideia para diversificar as aulas”, avaliou a estudante do 9º ano A, Carolina Vargas Huyer.

 

A preparação da aula

Para a aula acontecer, além da preparação dos conteúdos, os professores pesquisaram vários recursos tecnológicos, fizeram roteiro, ensaios e simulações. Foram utilizados:

  • Duas salas do Google Meet
  • Três celulares para filmagens
  • Dois tripés
  • Dois iPads, para acompanhar o retorno
  • Dois fones/microfones sem fio, para não enroscar
  • O programa OBS Studio, para edição ao vivo
  • O programa CorelDraw, para fazer as legendas

No momento da aula, uma das câmeras ficou móvel, para mostrar os detalhes da preparação das receitas, e duas fixas em tripés, uma na casa do professor Bennett e outra na casa do professor De Boita – eles explicaram que tentaram deixar as câmeras na mesma posição, para dar a impressão de que estavam no mesmo local.

Já as salas do Google Meet foram usadas da seguinte forma: o professor da disciplina de Cultura de Inovação, Roger Pereira, ficou em uma sala só com os demais professores para fazer a edição da aula em tempo real, dando destaque na tela para o professor que estava falando no momento. Na outra sala, estavam os mesmos professores e todos os estudantes.