Turmas do 7º ano participam de gincana medieval

10 de maio de 2022

O Ginásio do Colégio Farroupilha foi palco de uma batalha medieval fictícia, envolvendo ogros e catapultas, na tarde de segunda-feira, 09 de maio. A atividade marca a conclusão do Farrogros, um projeto interdisciplinar que aconteceu ao longo do primeiro trimestre letivo com as turmas do 7º ano do Ensino Fundamental – Anos Finais, das unidades Três Figueiras e Correia Lima.

O nome do projeto “Farrogros” foi inspirado na mitologia medieval europeia. As catapultas foram muito utilizadas pela cultura medieval e, assim como a figura do ogro, é uma das imagens representativas do imaginário desse período.

“Este projeto vai ao encontro do que temos procurado estimular aqui na escola: utilizar outras metodologias para envolver  e engajar os estudantes em seus processos de aprendizagem. Remeter a elementos  do campo imaginário e utilizar estratégias de mão na massa coloca o estudante em outra relação com os objetos e conceitos e o mobiliza a estabelecer relações  de forma espontânea. Além disso, sabemos da importância da escola em possibilitar a ampliação de repertório de vivências e experiências, tanto no que diz respeito à troca com os pares, como no que tange os aspectos culturais”, destacou a coordenadora dos Anos Finais, Caroline Garziera.  

Com as catapultas prontas, as turmas participaram de um jogo para colocar em prática a eficácia da catapulta. Para construir as catapultas, os estudantes passaram por atividades que envolveram nove componentes curriculares: em Produção Textual, produziram um manual de instrução para o uso da catapulta a partir do gênero textual injuntivo; em Artes Visuais, fizeram a personalização das catapultas utilizando diferentes técnicas artísticas; a Matemática entrou com o reconhecimento e a classificação dos triângulos quanto aos ângulos e aos lados, além do reconhecimento da rigidez geométrica dos triângulos; a Educação Física no desenvolvimento de motricidade fina, precisão e no conhecimento de um novo jogo; nas aulas de Cultura de Inovação, colocaram a mão-na-massa para construir miniaturas das catapultas e testá-las; em História, estudaram a origem das catapultas, e suas variações no tempo e no espaço, relacionaram a tecnologia estudada com as sociedades dos períodos antigo e medieval, analisaram a cultura medieval e suas contribuições em diversos aspectos no Ocidente, como tecnologia, ciência, literatura, mitologia e cotidiano; a Filosofia proporcionou a identificação das etapas lógicas do processo de construção da catapulta; e, em Ciências da Natureza, estudaram o princípio de funcionamento da catapulta (máquina simples).

“A tarde foi bem dinâmica, porque fazia bastante tempo que estávamos bem afastados uns dos outros. Acho que essa dinâmica de todas as turmas estarem juntas foi muito legal”, contou Laura Streck, do 7º ano B.