18 de novembro de 2020

Como se forma um arco-íris e por que ele tem 7 cores?

O arco-íris é um fenômeno formado pela decomposição da luz branca em várias cores. Essa separação das cores acontece em gotículas d’água. Por isso, é mais comum vê-lo em dias de chuva ou próximo de cachoeiras. Ele possui várias cores, mas sete são as mais perceptíveis ao olho humano. Quer saber mais? Continue lendo a postagem!

O termo “arco-íris” remete à forma de arco (que é como normalmente o fenômeno apresenta-se) e à deusa Íris, da mitologia grega – a mensageira entre o mundo terrestre e o mundo celeste. Vale ressaltar que o enxergamos como um arco porque a superfície da Terra interrompe a visualização da continuidade do efeito. Mas, caso estejamos em um avião e aconteça a formação de arco-íris, poderemos visualizar uma “circunferência-íris”, ou seja, o efeito gera uma circunferência colorida.

O efeito da decomposição da cor branca em diversas cores acontece em virtude da ocorrência de dois fenômenos da ótica geométrica – duas refrações e uma reflexão interna total – da luz nas gotículas d’água. Como essa luz reflete na parede interna das gotículas d’água, para se enxergar o arco-íris, é necessário estar de costas para o Sol. Outro fator que interfere na visualização do arco-íris é que ele acontece sempre em um ângulo de aproximadamente 42 graus da pessoa que o observa – e desloca-se junto a ela. Ou seja, encontrar o pote de ouro no fim do arco-íris não é possível, pois, entre outros motivos, esse fim não existe – seria como correr em direção a uma miragem.

As cores mais destacadas do arco-íris são: vermelha, laranja, amarela, verde, azul, azul-escuro e violeta. Porém, o arco-íris mostra toda a faixa de cores visível pelo olho humano. Se prestarmos atenção nas fronteiras de separação entre as cores citadas acima, outras nuances serão percebidas. O que ocorre é que as sete cores principais são as que mais se destacam no fenômeno.

Apesar de ser um fenômeno natural, é possível reproduzir um arco-íris de algumas maneiras, como ao utilizar uma mangueira ou um espelho e um copo com água.

Contribuiu para a postagem o professor Gentil Bruscato, responsável pelo Laboratório de Física do Colégio Farroupilha.