Vote do projeto de pesquisa dos estudantes da 3ª série na FEBRACE

24 de março de 2020

Até o dia 04 de abril a comunidade escolar pode votar no projeto “Otimização da formulação e dos parâmetros de produção de pastilha efervescente para detecção de fraude no leite por adição de reconstituintes de densidade em laboratório escolar”, das estudantes da 3ª série do Ensino Médio Fabiana Luft Bavaresco, Fernanda Luft Bavaresco e Maria Eduarda Baroni da Rosa. O trabalho está concorrendo ao “Prêmio Votação Popular na FEBRACE 2020”. Para votar, é preciso clicar em “Curtir”.

Em função da pandemia do coronavírus, as palestras, bancas de avaliação, visitação e premiação da 18ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (FEBRACE) acontecerão à distância, via Internet.

Saiba mais sobre o projeto:

Orientado pela professora do Laboratório de Química, Alessandra Rosa, o projeto teve o objetivo de otimizar a formulação e os parâmetros de produção de pastilhas efervescentes para a detecção de fraude no leite por adição de amido. A pesquisa teve início em 2018 e teve continuidade no ano passado, pois o grupo percebeu que os resultados obtidos na produção das pastilhas no Laboratório de Química do Colégio apresentavam oportunidades de melhoria: as pastilhas, anteriormente, tinham um prazo de validade relativamente curto e quebravam com facilidade.

Foi preciso, então, estabelecer parâmetros de controle de qualidade do produto e de desenvolver um processo de produção que se assemelhasse à fabricação de fármacos. O método de detecção de amido no leite foi elaborado a partir do uso de substâncias de baixo custo de aquisição e que não gerassem resíduos prejudiciais ao meio ambiente. O grupo fez uma visita ao Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de estabilidade e desenvolveu uma prensa manual de produção das pastilhas. Os resultados demonstraram que a nova formulação agregou à validade do produto três dias a mais, e o uso da prensa manual, em substituição ao método rudimentar, aumentou o rendimento do processo em 50%, o que evitou a perda de matéria-prima e tornou o processo mais rentável. O custo estimado para a produção de uma pastilha é de R$ 0,37, e a pastilha possui um limite para a detecção de amido de 0,025%.