Crianças do Nível 5D são “Detetives dos Germes”

18 de julho de 2019

Ao longo do primeiro semestre letivo, as crianças do Nível 5D da Educação Infantil realizaram diferentes propostas relacionadas ao projeto “Detetives dos Germes”, tema escolhido pela turma. Para iniciar as atividades, no dia 24 de abril, as crianças foram à Biblioteca pesquisar sobre a temática escolhida pela turma para o projeto.

Na semana seguinte, em 30 de maio, as crianças conversaram com a equipe do Laboratório de Biologia sobre os principais hábitos de higiene que devem ter com o corpo para reduzir as chances de contágio por vírus, fungos e bactérias, como tomar banho, escovar os dentes, vestir roupas limpas e lavar bem as mãos.  Em seguida, aprenderam, na prática, a maneira correta de higienizar as mãos.

No dia 13 de maio, cada criança criou uma bactéria, germe ou vírus utilizando tinta e um canudinho. A técnica consistiu em colocar tinta na folha e ir assoprando pelo canudinho para criar os formatos desejados. O resultado ficou exposto no painel da turma.

Novas descobertas sobre o projeto também foram realizadas em uma saída de estudos ao Museu de Ciência e Tecnologia da PUCRS, que aconteceu no dia 17 de maio.

 

As crianças também receberam visitas de especialistas na área da saúde para falar sobre o tema. Em 21 de maio, a turma conversou com a dentista e mãe da colega Isabela Souza, Nicole de Mello Rahde, sobre os germes e bactérias que podem habitar a boca e os cuidados para um sorriso saudável e branquinho. A pediatra e mãe da colega Manuela Matuasiak, Danyelle Matusiak, esteve com as crianças no dia 22 de maio para um papo sobre a importância da higiene na prevenção de doenças. Em seguida, também fizeram uma atividade prática sobre a quantidade de germes presentes nas mãos.

No dia 27 de maio, foi a vez de conversar sobre os cuidados que devemos ter ao passar as mãos nos olhos com o oftalmologista e pai do colega Alexsander Tractenberg, Márcio Tractenberg. E, em 06 de junho, a enfermeira do Colégio Farroupilha, Renata Endres, conversou com a turma sobre vírus, bactérias e vacinas. Em seguida, as crianças brincaram de vacinar bonecas.

O jogo matemático “contando bactérias” foi mais uma das atividades do projeto, realizada em 14 de junho. Nele, cada criança jogava o dado duas vezes e registrava numa lupa o número sorteado em cada jogada. Em seguida, colava a quantidade correspondente de bactérias no contorno da mão.

Em 25 de junho, a turma foi ao Laboratório de Biologia aprender sobre os “bichinhos do bem”, como as bactérias que agem para a fermentação de queijos e iogurtes.  Após a conversa, as crianças prepararam iogurtes.

Já no Laboratório de Química, as crianças aprenderam a fazer sabonete líquido, no dia 08 de julho. A turma aproveitou a visita para aprender um pouco mais sobre o projeto e para coletar amostras de lugares onde acreditava que existiam bactérias. Depois, observaram o crescimento desses microorganismos.

Depois de aprender que o fermento biológico é composto por fungos microscópicos vivos que se alimentam da glicose presente farinha de trigo, produzindo, durante a digestão, entre outras substâncias, as bolhas de gás carbônico que fazem a massa crescer, as crianças tiveram uma aula de culinária. Assim, em 11 de julho, concluíram as atividades do projeto preparando e saboreando deliciosos sanduíches feitos com os pães por eles preparados.