Farroups MUN aconteceu no Colégio

27 de maio de 2019

No último final de semana, 25 e 26 de maio, os estudantes do Grupo de Relações Internacionais (GRI) do Colégio Farroupilha promoveram o 1º Farroups MUN, um evento de simulação de reuniões da ONU.  A proposta é discutir, a partir da perspectiva de diferentes países, alguns problemas atuais e históricos da humanidade, e com argumentação chegar a uma agenda de compromissos.

Do Farroups MUN participaram cerca de 80 estudantes de GRIs de cinco escolas, além do Farroupilha: Leonardo da Vinci Alfa, Leonardo da Vinci Beta, Marista Rosário, Panamerican e Colégio Militar de Porto Alegre. Eles representaram mais de 40 países.

Todo o evento foi organizado e executado pelos estudantes do Farroupilha: projeto, definição de temáticas, divulgação, contato com as escolas participantes, preparação das salas, do Guia de Estudos, cobertura de comunicação, entre outras atividades. Diferentes setores do Colégio apoiaram os estudantes na organização do evento.

“São vários os ganhos dos estudantes ao participaram da montagem de um evento como esse: o grau de autonomia que eles ganham; habilidades para administrar diferentes problemas e para empreender seus projetos; oralidade e argumentação; além da ampliação da visão de mundo”, declarou o professor responsável pelo Grupo de Relações Internacionais do Colégio Farroupilha, Saul Filho.

Nas reuniões antes do evento, a expectativa era grande e a noção dos ganhos citados pelo professor Saul estavam presentes: “[Participar da organização do Farroups MUN] foi uma experiência incrível! É a nossa primeira simulação. Eu estou no GRI há quatro anos e nós sempre sonhamos [em fazer um evento desses] e nunca tinha saído do papel. Agora finalmente conseguimos tirar esse projeto do papel e realiza-lo. Participar do GRI é transformar, abrir sua cabeça, seus olhos para o mundo, é se aproximar dele, diminuir as distâncias. É construir sua empatia, sua capacidade de perceber como que as coisas funcionam em outros países, e que isso as vezes não se aplica ao Brasil”, contou o estudante da 3ª série A do Ensino Médio, Felipe Obino.

No discurso de abertura, a estudante da 3ª série A do Ensino Médio, Alícia Xavier, destacou: “Simular é se inserir em um contexto totalmente diferente do nosso cotidiano, é ter empatia para defender posicionamentos que não condizem muitas vezes com nossas opiniões pessoais, é ter espírito empreendedor para conseguir, juntamente com o trabalho em equipe, resolver os problemas que são expostos nos comitês e é ter liderança para conseguir atingir os seus objetivos como nação. Em suma, simular é com certeza transformar nós mesmos e dessa forma repensar o mundo para torná-lo mesmo com ações pequenas cada vez melhor”. Após o evento, a estudante ressalta a alegria de vê-lo realizado: “Me sinto lisonjeada por ter tido a oportunidade realizar o primeiro Farroups MUN acompanhada de pessoas maravilhosas, tanto de dentro do Colégio quanto de outros colégios. Estou esperando ansiosamente a próxima edição”.

As famílias dos estudantes participantes do GRI também percebem a importância de atividades como essa no desenvolvimento de seus filhos. “A escola que vai além do conteúdo formal. Mais uma vez, o Farroupilha abriu aos seus alunos a possibilidade de um aprendizado profundamente relevante e transformador. No fim de semana, vi minha filha se preparar e, com entusiasmo, participar do Farroups MUN. Do dress code à elaboração dos conteúdos, passando pela responsabilidade na organização, vi empolgação e aprendizado. Juro que nem me importei de acordar às 6h30min no sábado e antes das 8 no domingo para levá-la à escola, Nem eu, nem ela”, declarou Tulio Milman, pai da estudante Camila, da 2ª série A do Ensino Médio.